SANTO VIVO - ESTUDOS BÍBLICOS
Estudo de 2 Timóteo

ESTUDO DA SEGUNDA CARTA DE PAULO A TIMÓTEO

J. DIAS


AUTOR

De acordo com a saudação, o autor foi o apóstolo Paulo. Na tradição da Igreja Primitiva há consenso sobre a autoria de Paulo.

QUANDO FOI ESCRITA

De acordo com Eusébio de Cesaréia, essa carta teria sido escrita durante a prisão de Paulo em Roma, antes de sua iminente execução por ordem do imperador Nero, por volta dos anos 66 ou 67 d.C.

Geralmente se crê que Paulo foi encarcerado duas vezes em Roma, e que foi durante a segunda vez que escreveu esta carta. Anteriormente ele havia tido alguma liberdade, pois vivia numa casa alugada (At 28.30). Durante esse tempo tinha acesso aos amigos, mais agora estava numa situação de difícil acesso, pois ele mesmo relata que Onesíforo teve dificuldade para encontrá-lo (1.16-17).

Esta carta foi escrita quando a vida do apóstolo Paulo estava quase no fim. Ele apresenta a Timóteo um breve resumo de seu evangelho e pede que o jovem pastor fique do seu lado. Em seu julgamento no tribunal de Roma, Paulo já havia passado por uma audiência preliminar (4.16-18), e queixa-se que foi abandonado por seus companheiros durante essa fase de sua vida (4.10-11).  Paulo aguardava seu julgamento final, já convencido que a sentença seria de morte (4.6-8). Mesmo em meio a todos esses problemas o apostolo dá conselhos preciosos a Timóteo escrevendo seus pensamentos finais, dando força para que este não desistisse do ministério que lhe havia sido entregue (4.5).

CARACTERÍSTICAS E TEMAS

As duas cartas a Timóteo, fornecem importantes informações contextuais sobre o jovem pastor da cidade de Éfeso. Nesta segunda carta cita sua mãe Eunice e sua avó Lóide, identificando-as como cristãs (1.5). Fala que desde cedo Timóteo foi ensinado sobre as Escrituras (3.15) e inclui uma provável referencia à sua ordenação (1.6). Paulo admoesta Timóteo a aceitar os sofrimentos que viriam por causa de seu testemunho a favor de Cristo e do evangelho, também a lutar pela integridade e a veracidade da Palavra de Deus, que havia sido pregada pelo próprio Paulo. Como na carta anterior, nesta segunda também Paulo mostra uma forte preocupação pela sã doutrina (1.13-14; 2.2; 3) e contém meditações maravilhosas sobre a graça de Deus (1.9-11), a fidelidade de Cristo (2.11-13) e a natureza e função das Escrituras Sagradas (3.15-17).

Paulo queria que Timóteo ficasse com ele em Roma até sua morte. Seria um período de rico aprendizado para o jovem evangelista. Para Timóteo era a hora da verdade, não atender o chamado de Paulo, envergonhando-se de se identificar com ele em sua prisão, seria o mesmo que se envergonhar de proclamar Jesus Cristo como o seu Salvador e Senhor (2.1-3, 8,9).

O MOTIVO DA CARTA

O apóstolo Paulo, já com a idade avançada, estava próximo do final de sua vida, mas continuava com o desejo ardente de continuar sua missão de evangelista. Ele estava escrevendo para um de seus amigos mais próximos, considerado por ele como filho. Eles viajaram juntos, sofreram, choraram e também tiveram muitos motivos para rirem juntos. Agora Paulo entendia que o jovem Timóteo precisava de maturidade e capacidade para continuar sua obra, não deixando que com sua morte, a obra de Deus fosse prejudicada. Timóteo é retratado como um jovem muito novo, tímido, carente de espírito enérgico, e assim o apóstolo o exorta incisivamente a defender o evangelho, a pregar a Palavra de Deus, a perseverar na tribulação e a cumprir sua missão até o fim.

Convém lembrar que esta foi a última carta escrita pelo apóstolo Paulo. É uma epístola muito pessoal. Nela ele menciona 23 pessoas. Embora sozinho e tendo a certeza da morte para muito em breve, esqueceu-se de si mesmo para pensar nos outros, nas igrejas que havia fundado e sempre preocupado em defender a causa do evangelho.

Nesta carta nós podemos conhecer o Paulo frágil, mas que mesmo em sua fragilidade pela proximidade da morte ele tem certeza que Deus não o abandonou (4.17).

VERSÍCULO CHAVE

 

O versículo chave dessa epístola está em 1.13 “Conserva o modelo das sãs palavras que de mim tens ouvido, na fé e no amor que há em Cristo Jesus”. A vida de Paulo caracterizou-se por um esforço incessante de pregar o puro e inestimável tesouro de fé cristã, o evangelho. Ele desejava que a Palavra continuasse sendo anunciada sem distorções, após sua “partida”.

DIFICULDADES DE TIMÓTEO EM ÉFESO

Havia falsa doutrina em Éfeso, que Paulo descreveu como proveniente de dentro da própria igreja (2.18; 4.4). As características desses falsos ensinos eram as fábulas ou mitos (4.4), e que a ressurreição já acontecera (2.18). Esse falso ensino sobre a ressurreição vinha da crença gnóstica que negava a futura ressurreição corporal dos mortos em Cristo, afirmando que a ressurreição era espiritual e acontecia no momento da conversão.

Algumas dessas características dos falsos ensinos doutrinários, sugere que pode ter sido uma forma primitiva de gnosticismo, um movimento herético que se tornou um forte competidor do desenvolvimento da Igreja nos séculos II e III.

QUEM ERAM JANES E JAMBRES

No capítulo 3, versiculo 8 é citado dois personagens, Janes e Jambres, de acordo com o Targum (nome dado as traduções, paráfrases e comentários em aramaico da Bíblia hebraica), eram dois mágicos de Faraó que se opuseram a Moisés (Ex 7.11).

QUEM ERA TIMÓTEO

 

Timóteo era nativo de Listra, uma colônia romana na província da Galácia. Filho de um casamento misto, seu pai era gentio e sua mãe judia (At 16.1). Pouco é sabido sobre seu pai, que parece não ter se tornado cristão, mas sua mãe Eunice era cristã. É muito provável que quando Paulo conheceu Timóteo este já fosse cristão, pois em Atos 16, diz que ele era discípulo e tinha bom testemunho entre os irmãos de Listra e Icônio, embora Paulo o trate como filho na fé. O motivo mais provável para Paulo chamá-lo de filho na fé é que o apóstolo tenha ensinado a Timóteo o evangelho. Desde a infância ele fora instruído nas Escrituras judaicas por sua avó Lóide e sua mãe Eunice, conforme afirma Paulo em sua segunda carta ao discípulo.

 

Timóteo estava com Paulo em Atenas e foi enviado pelo apóstolo a Tessalônica para ministrar à comunidade local (1 Ts 3.2-6). No levante de habitantes de Corinto contra as aulas na sinagoga e as pregações apostólicas nas praças, Timóteo ficou com Paulo e Silas hospedado na casa do cidadão Tício Justo, que morava ao lado da sinagoga.

 

Por volta do ano 57, Timóteo é enviado de Éfeso a Macedônia para recolher ofertas que seriam enviadas aos cristãos de Jerusalém (At 19.22; 1 Co 4.17; 16.10). Em uma retrospectiva acerca da terceira viagem missionária de Paulo, Timóteo consta entre os seus cooperadores (At 20.4-5).

 

Em missões Timóteo foi enviado pelo apóstolo Paulo a Corinto (1 Co 16.10); dentre seus mandatos especiais viajou de Éfeso a Corinto para elucidar determinadas normas cristãs (1 Co 4.17). A epístola aos Hebreus fornece uma informação sobre uma prisão de Timóteo, mas anunciando que ele já estava em liberdade (Hb 13.23).

 

Timóteo não chegou a ser reconhecido como apóstolo, mas destacou-se como missionário e líder cristão altamente respeitado por toda a Igreja de sua época.

ESBOÇO DE 2TIMÓTEO

I. Introdução 1.1-5

Saudação 1.1-2
Ação de graças 1.3-5

II. Fidelidade face às dificuldades 1.6-14

Devido à natureza da experiência cristã 1.6-8
Devido à grandeza do evangelho 1.9-11
Devido ao exemplo de Paulo 1.12-14

III. Fidelidade face à deserções 1.15-2.13

O exemplo de Onesíforo 1.15-18
O caráter da obra de Timóteo 2.1-7
A obra redentora de Cristo 2.8-13

IV. Fidelidade face ao erro 2.14-4.8

Erro doutrinário 2.14-26
Erro prático 3.1-4.8

V. Conclusão 4.9-22

Instrução 4.9-13
Advertência 4.14-15
Explicação 4.16-18
Saudações 4.19-21
Bênção 4.22


J. DIAS

www.santovivo.net

 

  • FONTES:
  • Panorama do Novo Testamento - Editora Vida
  • Panorama do Novo Testamento - Editora Vida Nova
  • Bíblia Thompson - Editora Vida
  • Módulo de Teologia da FTB - Editora Betesda
  • Bíblia de Estudo de Genebra - Editora Cultura Cristã 


 


 



FALE CONOSCO/PERGUNTA BÍBLICA